Dia 51: Relaxing, baby!

Não estava nos meus planos viajar no feriadão, já que eu vou pra Barretos em breve pra formatura do meu irmão no Tiro de Guerra. Mas minha avó pediu e eu vim. Acho que ela estava com saudades.

Me sinto mal por estar longe, por ela estar sozinha aqui. Ela é tão bonitinha que não vai dormir enquanto eu não chego de viagem – e eu sempre chego meia-noite ou depois.

Enfim, cá estou. Passei um dia tranquilo, cortei o cabelo – aleluia! – e descansei bastante. Até mais do que deveria, né? Mas enfim. Continuo assistindo ANTM enquanto Le Goff me espera.

Apesar do cansaço que é encarar seis horas de ônibus depois do estágio, é muito bom estar aqui relaxando. Longe do stress, junto com minha vó. Estou precisando seriamente. A partir dessa semana eu entro no meu último mês de estágio e vai ser o mais hardcore.

.

Uma das coisas mais legais da minha vó é a contradição. Ela sempre foi muito rigorosa comigo quanto à alimentação, especialmente agora que eu engordei e preciso emagrecer por certos motivos. Hoje virou pra mim e disse:

– Tha, come fruta quando estiver aqui! Não fica comendo bobagem! Aliás, você viu que tem um bolo na geladeira pra você?

Amo.

Anúncios

Dia 50: O Brasil e a vergonha

Global Gender Gap Report 2009: Brasil em 82º lugar. E você ainda achava que 74º era uma posição ruim.

gggr2009

Top ten:

Rank 2009
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Country

 

Iceland
Finland
Norway
Sweden
N. Zealand
S. Africa
Denmark
Ireland
Philippines
Lesotho

Score*

 

0.828
0.825
0.823
0.814
0.788
0.770
0.763
0.760
0.758
0.750

Rank 2008
4
2
1
3
5
22
7
8
6
16
Gender Gap Subindexes
Economic Participation and Opportunity 76 0.637 0.594
Labour force participation …………………………………..76 0.75 0.69 64 86 0.75
Wage equality for similar work (survey) ……………114 0.52 0.66 — — 0.52
Estimated earned income (PPP US$)…………………..69 0.56 0.52 6,426 11,521 0.56
Legislators, senior officials, and managers…………33 0.54 0.30 35 65 0.54
Professional and technical workers ……………………..1 1.00 0.84 53 47 1.11
Educational Attainment 32 0.999 0.930
Literacy rate ………………………………………………………….1 1.00 0.87 90 89 1.01
Enrolment in primary education…………………………..73 1.00 0.97 93 93 1.00
Enrolment in secondary education ……………………….1 1.00 0.92 81 73 1.11
Enrolment in tertiary education …………………………….1 1.00 0.87 34 26 1.29
Health and Survival 1 0.980 0.960
Sex ratio at birth (female/male) …………………………….1 0.94 0.93 — — 0.94
Healthy life expectancy…………………………………………1 1.06 1.04 62 57 1.09
Political Empowerment 114 0.063 0.169
Women in parliament…………………………………………109 0.10 0.22 9 91 0.10
Women in ministerial positions……………………………88 0.13 0.17 11 89 0.13
Years with female head of state (last 50) …………….41 0.00 0.14 0 50 0.00
Additional Data
Maternity and Childbearing
Births attended by skilled health staff (%) ………………………………….97
Contraceptive prevalence, married women (%)………………………….77
Infant mortality rate (per 1,000 live births)…………………………………..19
Length of paid maternity leave …………………………………………120 days
Maternity leave benefits (% of wages paid) ……………………………..100
Provider of maternity coverage………………………………Social security
Maternal mortality ratio per 100,000 live births …………………………110
Adolescent fertility rate (births per 1,000 women
aged 15–19) ………………………………………………………………………………56
Education and Training
Female teachers, primary education (%)…………………………………….91
Female teachers, secondary education (%) ……………………………….69
Female teachers, tertiary education (%) …………………………………….44
Employment and Earnings
Female adult unemployment rate (%)……………………………………..11.66
Male adult unemployment rate (%) ………………………………………….6.77
Women in non-agricultural paid labour
(% of total labour force)……………………………………………………………42
Ability of women to rise to enterprise leadership*…………………..3.96
Basic Rights and Social Institutions**
Paternal versus maternal authority ………………………………………….0.00
Female genital mutilation………………………………………………………….0.00
Polygamy ………………………………………………………………………………….0.00
Existence of legislation punishing acts of violence
against women………………………………………………………………………0.58
76 Country Profiles Global Gender Gap Report 2009
country score
sample average
0.00 = inequality
1.00 = equality
Sample Female-to-
Rank Score average Female Male male ratio

Dia 49: BrNTM

IMG_8448

E aí a Giovahnna saiu. Fim.

E minha jornada com o BrNTM provavelmente termina aqui. Ainda torço pra Mírian, mas já estou ficando de saco cheio do programa. Não ando suportando a Tatiana, e agora ela aparece em 75% do tempo. Só dá ela. Começou com a Bruna chorando, passou pra Rafaela envenenando e agora a Tatiana assumiu o trono.

Tô trocando pelo ANTM, minha gente. Tyra Banks dá de dez.

Dia 48: No time to cry

Eu estou completamente estressada. Completamente. As pessoas andam me irritando profundamente. Não consigo mais me relacionar com ninguém em paz. Tudo é difícil, tudo está ruim. Eu passei a desprezar metade da população mundial de graça.

Isso tem várias razões, algumas delas justificadas. Pode também ser muita manha. Quero colo, quero minha casa.

Eu tracei uma meta que não posso começar a cumprir enquanto este ano e as obrigações dele não forem concluídas e acho que isso me frustra.

Estou cansada. Não quero ficar brigando com ninguém. Quero sossego, férias e 2010.

Dia 47: Memória de peixe

Eu me esqueci do post de ontem. Assim, simplesmente. Fiquei assistindo bobagens até tarde e fui dormir. Pronto.

Perdoem minha velhice.

.

Update:

Então, ok. Um pouco sobre o fim de semana e meu momento Dóri:

A razão por eu ter esquecido de postar ontem é bem específica. Eu passei o fim de semana mofando e assistindo a primeira temporada do America’s Next Top Model. Mea culpa, eu sei. Mas eu vi um episódio por acaso na TV a cabo – não sabia que ainda passava – e lembrei de quando a Anika e a Rachel passavam madrugadas acordadas assistindo, e aí deu vontade de ver. E descobri que a diferença dele pro BrNTM são gritantes!

Primeiro, pelo quesito pretensão. O BrNTM parece mais do que pode. Sim, porque, não é por nada, não, mas o que é a ‘Revista Gloss’? E contrato com a C&A?! Ah, não, gente. Vamos combinar que as premiações podem ser melhorzinhas, né? Na versão americana, a revista é a Marie Claire e o contrato é com a Revlon. [Fica aqui claro que eu não apóio nenhuma das citadas, mas é indiscutível o contraste das premiações.]

Tá, né? Mas aí a gente ignora. Até porque Marie Claire e Revlon podiam bem evaporar. Só que aí entram outras coisas. Na versão brasileira, tem todo um clima formal, cheio de coisas, uma aura de superioridade dos jurados. A coisa deles deixarem bem claro, em palavras ditas, o tempo todo, de que estão ali pra ensinar, e as modelos pra aprender. Ponto. E a diferença da Fernanda Mota pra Tyra Banks… por favor, né? A Fernanda Mota não desce daquele salto e não tira aquela maquiagem de femme fatale um minuto. A Tyra Banks tá sempre fazendo macaquices com as meninas e existe um clima muito mais íntimo. Publicidade que seja, é muito melhor.

Outra coisa: é muito óbvio – até pelo desenrolar do programa – que isso é influência da Tyra Banks, mas das dez competidoras finais, cinco eram não-brancas (1º ciclo). Oi? Na versão nacional, o mesmo era aplicável apenas em três das treze finalistas (no atual ciclo, o 3º). Agora calculem comigo:

– De acordo com o United States Census Bureau, 79,8% da população americana é branca.

– Já no Brasil, segundo o IBGE, os brancos são 49,4%. Quer dizer, os que se dizem brancos. Porque muita gente não sabe ou não assume que é multirracial. Então vamos imaginar que é daí pra menos.

Concluindo: Sou só eu que vejo alguma coisa errada? Num lugar onde ‘apenas’ 20% da população é composta de não-brancos, metade das participantes é branca; no outro lugar, onde reconhecidamente menos da metade da população é branca, as modelos não brancas têm uma participação de aproximadamente 23%?! Isso não tá meio invertido?

Acho que reflete muito o pensamento na moda brasileira – tá, isso não é fenômeno exclusivo daqui, mas aqui é mais chocante porque, bem, é o Brasil, né? Não dá pra ignorar que é um país mulato. Não vamos fazer como a Glória Coelho:

“Na Fashion Week já tem muito negro costurando, fazendo modelagem, muitos com mãos de ouro, fazendo coisas lindas, tem negros assistentes, vendedoras, por que têm de estar na passarela?”

.

Por outro lado, sempre existe um outro lado. Acho que no quesito estética Brazilians do it better. Não preciso dizer que americanos têm um gosto terrível para decoração, né? Pois é, mas digo: americanos têm um gosto TERRÍVEL para decoração. E mesmo a moda é bastante… er. Muitas coisas que apareceram como ‘high fashion’ ali são de gosto duvidável. E os cabelos… cara… não. A única coisa que eu gostei foi a maquiagem. Sempre interessante.

No fim, acho que nunca vou deixar de associar modelos americanas com concursos de beleza. Até mesmo aquela Janice Dickinson, ex-top, que fez questão de esculhambar todos os aspectos de pageantry das candidatas, não me convence com aquele botox e silicone. É de um mau gosto tremendo.

.

Tá, chega de maldade.

Eu não entendo de moda, não entendo de modelos, não entendo de nada disso. São só opiniões leigas. É bom deixar claro antes que alguém se sinta ofendido.

Mantenho, claro, a postura sobre não-brancos. Sinto muito, mas é absurdo.

Dia 45: Quetzal

Eu estava dando uma olhada em uma exibição on-line de ilustrações de pássaros, quando me deparei com esta pintura:

h112-001

Na verdade, não foi a imagem em si que me chamou a atenção, mas o nome do pássaro. Não o nome científico, Pharomachrus mocinno, que aparece embaixo da figura; mas o nome popular: quetzal. Me chamou a atenção porque, embora eu tenha visto várias vezes associações entre Quetzalcoatl e este pássaro, jamais tive a curiosidade de vê-lo.

Fui ao Google Imagens por mera curiosidade e fiz a busca. Fiquei pasma. É um pássaro belíssimo!

quetzal-verticalRalph-Resplendent_Quetzal

Quetzal é um nome dado a muitos pássaros da América Central, na verdade. Este é o quetzal-resplandescente. Vale dizer que essas rectrizes lindas, como em outras aves, são exclusivas dos machos. Um artifício para atrair fêmeas. Os dois também podem ser diferenciados pelos bicos: o dos machos é amarelo, enquanto as fêmeas têm bico preto.

O quetzal-resplandescente era considerado um pássaro sagrado para os astecas. Era o deus do vento, e suas penas eram usadas pela nobreza em associação a Quetzalcoatl. Matá-lo era considerado crime. Hoje, é o pássaro nacional da Guatemala. Eis uma representação do deus com o pássaro:

649px-Quetzalcoatl_magliabechianoOs astecas tinham razão. É de fato um pássaro a ser venerado.

.

A imagem do quetzal é John Gould e não me atraiu muito. A que eu mais gostei foi essa, de John James Audubon:

h015-008