Dia 250: Takarazuka: Parte VII – Etc.

Minhas atrizes favoritas, aquelas que estavam na época em que virei fã, já saíram quase todas. A saída mais dolorosa foi a da Sumire Haruno, porque eu realmente esperava ver uma performance dela ao vivo, antes dela se ‘aposentar’. E, no fim, a gente sempre espera que a atriz vá escolher ficar lá pro resto da vida. Tipo a Todoroki. Mas ela tinha outros planos. Saiu pra se casar.

Sorte que a Todoroki tá lá. É das minhas favoritas. E tem sempre a Hiromu Kiriya também. Que eu espero que vá longe, porque ela é boa. Virou top recentemente, depois de longos anos seguindo a Jun Sena. A Jun foi a última da minha geração favorita a deixar o teatro.

[Da esq. pra dir, de cima pra baixo: Sumire Haruno, Yuu Todoroki, Jun Sena e Hiromu Kiriya]

Ainda estou me acostumando às outras tops. Uma que eu definitivamente não gosto, e que vai sair em breve, é a Natsuki Mizu. Sai em setembro, mas ainda não se sabe quem vai sucedê-la. Das musumeyaku, nenhuma das atuais conseguiu chamar minha atenção. A única que eu gosto, a Ayane Sakurano, também vai sair. Dia 30, agora.

[Mizu e Sakurano]

Se é que alguém ainda não procurou, vou colocar dois vídeos aqui só pra dar um exemplo. O primeiro é da peça Me and My Girl, na versão de 1995 do Tsukigumi. A top da época era a Amami Yuuki, famosa por ter sido uma das atrizes mais novas a conseguir o posto, aos 26 anos. O vídeo é basicamente um trailer, misturado com a cena mais famosa da peça, a Lambeth Walk. Me and My Girl é um musical britânico de 1937. Aqui tem uma versão (premiada) inglesa para comparação – a qualidade não está boa, mas gosto dessa versão e não consegui achar outro vídeo parecido.

Para o segundo vídeo, eu ia escolher algum de Elisabeth. Fui procurar no YouTube e acabei descobrindo que existe alguém traduzindo Takarazuka para o português! Eu não tive ainda como assistir tudo, só dei uma passada de olhos, mas a tradução parece ok. É a Elisabeth de 2005, Tsukigumi. Não é nem de longe a minha favorita. Nao Ayaki no papel principal não convence. E Sena Jun, uma otokoyaku, faz o papel de Elisabeth. De uma maneira geral, a interpretação é boazinha, mas a voz dela falha terrivelmente nos agudos. O lado positivo é a Kiriya como Luigi Luccheni.

Vou postar a primeira parte. É possível achar as continuações nos vídeos relacionados.

A melhor versão, infelizmente, ainda não está legendada – pelo menos não encontrei nada. Se você tem interesse e entende japonês (ou tem paciência), é possível assistir no Tudou. Hanagumi, 2002.

Como eu já disse, o Zuka é bem desconhecido no Brasil, mas felizmente tem muitas fãs nos EUA e na Europa. Por isso, é relativamente fácil encontrar sites de fãs. Muitos sites já estão desatualizados e; ou foram abandonados, especialmente porque hoje em dia existe o Takawiki facilitando nossas vidas. As fãs também costumam se comunicar pelo LiveJournal, através da comunidade principal ou por blogs pessoais. O site oficial é esse. Também tem uma versão em inglês, mas não tem muitas informações; só as peças em cartaz e o básico sobre acesso ao teatro.

O melhor livro sobre o Takarazuka é o que já citei:

ROBERTSON, Jennifer. Takarazuka: sexual politics and popular culture in modern Japan. Los Angeles: University of California Press, 1998. 278 p.

Existe um documentário, também, sobre o teatro, chamado Dream Girls (favor não confundir com o filme). O Japanorama, aquele programa da BBC que eu citei no post sobre hosts, também falou um pouco sobre o Takarazuka no mesmo episódio dos hosts – eu só assisti essa parte; já estou baixando as três temporadas do programa pra assistir.

E aqui tem um artigo que o Asahi Shinbun publicou em 2008 sobre aspirantes ao Takarazuka. Existem vários outros artigos.

E eu encerro aqui o meu Takarazuka For Dummies. Espero que eu tenha conseguido fazer uma coisa mais ou menos clara, que dê pra entender. Com exceção dessa última parte, os outros posts eu escrevi todos numa noite, com sono. Deixei todos programados, e como não tive muito tempo nos últimos dias, nem tive tempo de revisar antes que fossem publicados. Já vi uma série de erros bobos. Perdão. Vou corrigi-los com o tempo, mas não é nada que atrapalhe a compreensão, espero.

Pra quem tiver interesse, é só pedir socorro por aqui. Ajudo no que puder. Ter com quem discutir é sempre bom.

O Takarazuka pode e deve provocar muito debate. O que eu me propus a fazer aqui, no entanto, não dá muito espaço pra isso, só pra passar rapidamente por alguns tópicos. Espero ter provocado a curiosidade de alguém pra levar isso adiante.

Anúncios

7 pensamentos sobre “Dia 250: Takarazuka: Parte VII – Etc.

  1. Cara nem sei se vc vai ver esse comment mas vc conseguiu baixar o Dream girls em algum lugar? To querendo muito mas não acho de jeito nenhum. Obrigada.

    • Pois é, guria, infelizmente eu não tenho um link pra te passar. Eu assisti no Youtube há muito tempo, e hoje em dia os vídeos estão marcados como privados. Uma coisa chata sobre o fandom do Takarazuka, pra nós do Brasil, é que ele é muito, muito fechado e rígido. Tanto que os shows não vazam de modo algum, como você pode perceber. Uma pena. Se eu encontrar alguma coisa, mando pra esse e-mail da sua assinatura.

      • É eu acho que vou dar uma olhada. Tem a Kiriya pequenininha nesse documentário rs. ^_^
        Mas eu queria mesmo era comprar o livro da Jennifer Robertson. “Takarazuka: Sexual Politics and Popular Culture in Modern Japan”. Acho a visão dela muito intressante. Vc tem acompanhado o Teatro ultimamente?

      • Jeanne, ótima notícia pra nós. Acabo de descobrir um site que – não sei como – havia conseguido passar em branco pra mim: http://takarazukaarchive.blogspot.com.br/ Testei e os links são bons. Divirta-se!

        O livro é excelente, compre mesmo assim que puder. Na Amazon ele é barato, e se você achar alguém que vá pro e exterior e possa trazer pra você, melhor ainda.

        Não estava acompanhando por uma questão de rotina atribulada, mas vou voltar.

      • Oppsss acabei comentando 2 x.
        Ahhh que site bom cara. Tem que proteger esse link com a vida (eu tenho medo dos mimizentos do fandom). Os links funcionam e…. Subtitles! Mto obrigada. Vo comprar o livro esse mês ainda na amazon. ;)
        Mas volta a acompanhar sim! Brasileiros sempre fazem falta \o/!

      • Ah que bom! Eu acho que vou dar uma olhada…. Tem a Kiriya pequenininha nesse documentário rs. ^_^
        Mas eu queria também comprar o livro da Jennifer Robertson. “Takarazuka: Sexual Politics and Popular Culture in Modern Japan”. Acho que vou fazer isso primeiro. Acho a visão dela muito importante. Vc tem acompanhado o Teatro ultimamente? Eh que pelos seus posts parece que vc foi com a geração da Osa. :)))

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s