Dia 133: Comentando de leve a SPFW

Muita gente pode não acreditar, porque eu me visto como se tivesse só 5 peças no guarda-roupa – de quando eu tinha 20 quilos a menos -, mas eu já quis muito ser estilista quando mais nova. Era fanática por moda. Minha avó materna sempre foi do ramo e me incentivava.

Um belo dia, por alguma ou por diversas razões, isso ficou pra trás. Mas eu ainda gosto muito de ver e acompanhar os eventos quando dá.

Hoje se encerrou a temporada outono/inverno do evento mais agitado do Brasil. Veja bem, eu sou da época em que a São Paulo Fashion Week ainda se chamava Morumbi Fashion (coisa que eu nem lembrava mais!).

Desde aquela época eu tenho um estilista queridinho que não troco: o Lino Villaventura. Ele sempre faz coisas dramáticas, bonitas de se ver num desfile. Porque nessas horas eu sou meio perua; gosto de desfile chamativo. Dessa vez não foi diferente. Adorei.

[Mais fotos aqui.]

Outro que vem me conquistando cada vez mais é o Samuel Cirnansck. O desfile de outono/inverno de 2009 foi o meu favorito. Também gostei bastante dessa temporada. Só tem uma coisinha… Rapaz, tinha que ter até abajur e mesa?

__

Claro que, além das roupas, também tem a babação pelos modelos. Nisso eu estou totalmente por fora. Não sei qual é o nome da hora. Mas o Terra publicou algumas fotos de meninos que desfilaram por lá. Tô postando o link aqui porque a Adrina reclama que eu só posto foto de mulher. Mas só gostei de um ou outro, e imagino que não vão atender aos gostos rústicos dela e da @losille. Se elas quiserem, podem levar. Eu fico com o Dudu.

Haha!

Anúncios

Dia 14: ‘T.G.I.T.N.*’ ou ‘Por que eu tenho que ganhar muito dinheiro’

*Thank God It’s Thursday Night

Eu já comentei que noites de quinta-feira são meus momentos favoritos da semana. Acho que a maioria das pessoas diria que é sexta, mas sexta pra mim já é começo de fim de semana, e se já começou, já começou a acabar, também. Então quinta à noite é bom porque ainda não começou, a gente ainda tá na expectativa. E aí entra na sexta bem. Porque sexta é sexta. Todo mundo vai trabalhar feliz, de calça jeans, ouve música e fica em paz, porque vai pro barzinho à noite e já tá planejando o mico de sábado. Ou não. Talvez prefiram ficar em casa fazendo coisas mais nerds, como eu, né? Vai saber.

Hoje também é uma quinta-feira feliz porque eu comprei livros. Sim, livroS. Eu tô torcendo pra que minha família não leia esse blog, porque senão eu vou tomar um esporro quando chegar em casa daqui uns dias. E eu desconfio que minha mãe esteja lendo, porque ela sabia que minha kokeshi era uma kokeshi quando eu mostrei pra ela na cam no dia seguinte.

Enfim. Livros. Eu fui comprar o Dicionário de Biblioteconomia e Arquivologia e acabei esbarrando no Guia Ilustrado Zahar de Mitologia. Aí, ai. Porque eu adoro mitologia. E ele é tão lindo e ilustrado… Aí eu tava lá paquerando o dicionário Houaiss que eu, pelo jeito, vou continuar só na paquera por muito tempo, quando outro membro da família me chamou a atenção: o Gramática Houaiss da Língua Portuguesa. E ai de novo. Porque eu também adoro Língua Portuguesa, né? E assim eu continuei esbarrando no Victor Hugo, na Simone de Beauvoir e em Homero, mas resolvi que seria mais sensato fingir que não vi. Mas saibam que eu ainda estou esperando ganhar de presente.

Aí o Victor tava junto e meio que me fez sentir uma idiota por gastar tanto dinheiro com livros, mas poxa! Eu não faço nada, gente. Eu fico em casa nos sábados à noite fazendo programas nerds com o Daniel! Posso?

E é por isso que eu tenho que ganhar muito. Viu, gente que vai me contratar? Pensem nisso. Em como eu sou uma pessoa que gosta de livros e tal, e de ler. E eu sou legal. Sustentem meu vício, por favor.

-Na verdade eu acho que vou ter que passar num concurso daqueles que você tem que ir pro Piauí morrer de calor e falta de internet, mas tudo bem.-

Ah, e quintas também são felizes porque tem o Brazil’s Next Top Model, né? NOT! Hoje eu achei que a Giovahnna ia se dar mal. Colocaram umas cenas dela ‘dando em cima’ da japinha e tal. Dar em cima não foi a intenção, acho, mas ficou parecendo. Eu ri e achei engraçado, porque também brinco assim – depende com quem, obviamente -, mas acho que o resto da população homofóbica brasileira não vai ver desse jeito. Ziegler, Ziegler. Se comporte. Olha a responsabilidade.

E vou confessar que eu pegaria muito o Dudu Bertholini. Tudo bem que ele não me pegaria – e isso é óbvio duas vezes, né? Porque não sei se é, mas deve ser gay. E mesmo bi, se pega guria, é modelo. E eu sou um ser de 160 cm bem recheados. Tipo hobbit, assim. Mas que eu pegava, pegava. Ah, gente, vai falar que não? Essa coisa cabelão + étnico = andrógino me tira do sério. Pegava e pegava forte.

DB6b0ha541c271801b48e_dudu

Se o Herchcovitch também quiser entrar no ménage, tô aceitando.