Dia 89: In Memoriam

Então hoje, finalmente!, terminei meu trabalho sobre a FEB. É uma quase coincidência, porque ontem (8) faleceu, no Rio de Janeiro, a Major Elza Cansanção, que foi enfermeira da força expedicionária.

A major sonhava em lutar nas linhas de combate, mas teve que se contentar em cuidar dos soldados feridos. Foi a mulher mais condecorada da história militar brasileira, com destaque para a Medalha da Ordem do Mérito Militar e da Medalha Ancien Combatant du Tatre du Operacion du L’Orope, da França, a qual foi a única mulher a receber.

O site da ANVFEB informa que ela recebeu a Ordem do Mérito no grau de cavaleiro e depois foi promovida a oficial em 89. Pode ser só impressão minha, mas a medalha que ela parece usar nessa foto (no pescoço – para comparação) é a de comendador.

Não sei se a informação do site está desatualizada; não consegui descobrir.

Embora eu não tenha utilizado o depoimento dela, por não ter tido relação direta com o meu enfoque, meu trabalho fica em memória a ela que, junto com o meu avô, foi minha inspiração.

Faltam 9 dias.

Dia 80: F.E.B.

Finalmente apresentei meu trabalho sobre a Força Expedicionária. Foi uma correria no fim de semana pra preparar, porque eu não tinha nada pronto. Ainda falta entregar a parte escrita, na verdade, mas a apresentação correu bem, ao que parece. A professora não fez críticas, o que já é um começo.

Também gostei de ver o pessoal todo atento quando eu comecei a mostrar as fotos das peças. E a curiosidade, depois, pra saber quem é o colecionador misterioso também foi o máximo! Ri muito.

O Manito me perguntou se eu pretendo seguir com o tema na pós, e eu adorei a pergunta, porque seria um sonho pra mim. Já queria seguir com a parte de memória e patrimônio, aí juntou a questão militar, então, fechou!

Fica a minha foto favorita: a rendição alemã: o general Fretter-Pico se entregando. :D